[bra'ziw]

Idiomas e Intercâmbios

Bauru

[bra'ziw] - Idiomas e Intercâmbios - Bauru
Visite nossa página no Facebook Visite nossa página no Instagram

Realizar um intercâmbio é um sonho para muitos, no entanto, existem alguns erros que um intercambista não pode cometer pois podem dificultar bastante a experiência. Antes de embarcar é essencial levar alguns fatores em consideração para viagem ser muito mais bem aproveitada! 1. Não fazer um bom planejamento É imprescindível um bom planejamento, não se resumir ao campo financeiro, mas incluir também os aspectos culturais e sociais do local que será visitado. Pesquise bastante! Além disso, coloque todos os seus possíveis gastos no papel e faça uma estimativa realista do que poderá ser gasto e com o quê. 2. Não preparar toda a documentação necessária Tomar cuidado extra com a documentação; não somente para obtenção do visto como tudo que precisará levar na viagem. 3. Viajar sem seguro e assisteência internacional O velho ditado já diz: “As vezes o barato sai caro”. Acredite! O seguro custará bem menos do que o valor de apenas uma consulta em muitos países do mundo. Ele também será uma fatia mínima do orçamento de uma viagem internacional. Não fazer é uma economia boba e que pode gerar grandes problemas para o viajante. 3. Deixar para fazer compras necessárias no local de destino Conhecer novas vitrines e novos produtos pode ser muito divertido, mas deve ser feito com bastante cuidado. É difícil se preparar para os preços que serão encontrados nas lojas do país de destino. Por conta disso, leve itens essenciais já em sua mala. Eles devem servir por algumas semanas, até que você esteja bem habituado ao local. 4. Encarar o intercâmbio como uma viagem de férias O intercâmbio pode (e deve) ter seus momentos de distração e lazer, com passeios e uma boa exploração do local. Mas isso não é tudo. Muitos intercambistas acabam se esquecendo do objetivo principal, e acabam perdendo tempo com outras atividades. Além de ser um desperdício de uma ótima oportunidade, isso faz com que o aprendizado não seja suficiente. 5. Não escolher o intercâmbio certo para você No entanto, isso não é tudo e a escolha do intercâmbio deve ser pensada com tanto carinho quanto todos os outros pontos da viagem. Há diversas opções para pessoas e objetivos diferentes. Verifique bem quais são as suas necessidades e expectativas e escolha a opção certa para você. 6. Levar o dia a dia como um turista A maioria de nós está habituada a visitar um novo local e fazer o bom e velho passeio turístico. Na prática, no entanto, isso não é tão benéfico para os intercambistas, que devem ter em mente o foco no intercâmbio. Além de mais caros, esses locais podem não fornecer uma real imersão cultural no país. Por isso, busque experiências únicas e lugares que sejam famosos entre os habitantes daquele lugar. Embora eles não estejam listados nos melhores guias de viagem, é assim que você se misturará melhor com a galera e conseguirá preços muito melhores. 7. Andar somente com brasileiros Esse é um erro bastante clássico e cometido pela maioria esmagadora dos intercambistas. Devemos dizer que o erro está em fazer apenas amigos brasileiros. Parte da imersão em uma nova cultura consiste em fazer amizade com nativos do local, que podem mostrar a cidade por uma perspectiva completamente diferente daquela apontada em guias de viagem ou na internet. Conhecer pessoas de outras nacionalidades, mas que estejam no mesmo barco que você, pode ser uma maneira de diversificar o grupo de amigos e conhecer culturas ainda mais diferentes, favorecendo o seu amadurecimento e trazendo mais conhecimento para a sua vida. 8. Não contar com a ajuda de uma agência especializada Por fim, mas não menos importante, um dos erros mais graves que podem ser cometidos por intercambistas é subestimar a importância de uma agência especializada no assunto e achar que podem lidar com tudo completamente sozinhos. Embora seja possível planejar uma viagem como essas sozinho, isso não significa que seja a melhor ideia. Afinal de contas, agências contam com uma equipe treinada para resolver questões burocráticas complicadas sem que você tenha de esquentar sua cabeça com isso. Além disso, é ela quem presta socorro aos intercambistas nos mais variados casos, ajudando-os a conseguir empregos ou moradias, entre outras inúmeras questões. [bra´ziw]! Certeza de uma boa escolha!

Sabemos que acidentes acontecem e problemas de saúde são imprevisíveis. Nada de passar perrengue durante seu intercâmbio. É preciso estar pronto para enfrentar todos os desafios da viagem, até mesmo os imprevistos. O seguro de viagem funciona como um plano de saúde temporário e também uma garantia de indenização para várias situações e acidentes. Ele será válido pelos dias da contratação e dentro das normas especificadas em cada contrato. Normalmente é feito para destinos internacionais, onde os planos de saúde brasileiros que usamos no dia a dia não têm validade. Qual a diferença entre seguro de viagem e assistência de viagem? O seguro viagem prevê que o viajante pague todas as despesas médicas do próprio bolso e depois solicite o reembolso à seguradora (dentro dos limites de valores estabelecidos em contrato). A assistência viagem funciona de maneira diferente. O atendimento será todo arcado pela seguradora contratada (claro que dentro dos limites previstos no contrato). Diferente do seguro viagem, a assistência viagem prevê que o segurado deve entrar em contato com a empresa contratada antes de receber o atendimento. É importante dizer que muitas seguradoras vendem os dois serviços no mesmo pacote, assim você estará garantido de toda maneira. É fundamental saber essa informação no momento da contratação do serviço para não passar aperto depois. Quanto custa um seguro de viagem? Acredite! Custará bem menos do que o valor de apenas uma consulta em muitos países do mundo. Ele também será uma fatia mínima do orçamento de uma viagem internacional. Não fazer é uma economia boba e que pode gerar grandes problemas para o viajante

VEJA MAIS NOTÍCIAS